Os fãs de desportivos aguardam o momento em que a Aston Martin dê a ver o Valkyrie em acção, sem limitações, a demonstrar os seus dotes em circuito com o objectivo de estabelecer um recorde da volta mais rápida, idealmente no Nürburgring. As entregas a clientes do sofisticado coupé estão programadas para arrancar até final do ano, mas já é possível ver um dos protótipos utilizados no desenvolvimento do Valkyrie rodar em pista, mais especificamente no traçado de Silverstone.

Não há indicações relativas aos tempos por volta conseguidos por esta unidade, a velocidade máxima atingida ou dados sobre a capacidade de aceleração naquelas condições. Contudo, o vídeo divulgado permite constatar a rapidez do modelo e, acima de tudo, o apaixonante gritar do seu motor atmosférico, sem ser amordaçado por qualquer sistema de sobrealimentação que lhe limite a sonoridade.

O Valkyrie monta um sistema KERS similar aos utilizados pelos F1, este desenvolvido pela Rimac, mas o seu motor principal é uma obra de arte, em potência, sofisticação e nobreza. Trata-se de um V12 muito compacto, apesar de ter 6,5 litros de capacidade e ser capaz de girar até às 11.100 rpm, um recorde para motores homologados para rodar em estrada.

Este supermotor desenvolvido e produzido pela Cosworth deita cá para fora 1.014 cv, com os restantes 162 cv a estarem a cargo do motor eléctrico alimentado pelo KERS. Resta aguardar que, antes das primeiras unidades começarem a ser entregues aos clientes, se conheçam finalmente os valores anunciados para a velocidade máxima e 0-100 km/h.

Contudo, este secretismo em relação às especificações não limitou o sucesso comercial do Aston Martin, uma vez que todos os Valkyrie já foram vendidos por 2,92 milhões de euros (antes de impostos) a unidade – serão produzidas 150 de estrada e mais 25 destinadas a competição.