O presidente norte-americano realizou uma visita inesperada às tropas americanas no Afeganistão e anunciou que os EUA e os talibãs retomaram as negociações de paz, noticia esta quinta-feira a imprensa internacional.

“Os talibãs querem chegar a acordo”, adiantou Trump em Bagram, na maior base aérea americana no Afeganistão, durante a sua primeira viagem ao país, onde também reuniu com o presidente afegão Ashraf Ghani.

“Temo-nos encontrado com eles [talibãs] e temos dito que tem de haver um cessar-fogo e eles não queriam um cessar-fogo, mas agora acredito que querem”, afirmou ainda.

A interrupção abrupta do diálogo de paz entre os EUA e os talibãs ocorreu após uma onda de violência, que culminou num bombardeamento em Cabul no qual morreram 12 pessoas, incluindo um soldado norte-americano. Os Estados Unidos e os talibãs estavam perto de um acordo em setembro, que poderia ter permitido a retirada de tropas norte-americanas do país.

A visita, que decorreu no dia de Ação de Graças, acontece na sequência de uma troca de prisioneiros com os talibãs com o objetivo de retomar as negociações de paz entre os Estados Unidos e os rebeldes.

Trump referiu também que os EUA estão a reduzir “substancialmente” o número de tropas, não avançando números exatos, mas que o plano é reduzir para cerca de 8.600.

Segundo a BBC, cerca de 13.000 tropas permanecem no Afeganistão, na guerra mais longa dos EUA, 18 anos após a intervenção para expulsar os talibãs na sequência dos ataques de 11 de setembro de 2001.