A Newton, uma startup portuguesa que desenvolveu um chatbot para facilitar o processo de recrutamento das empresas, foi a vencedora do 21.º Prémio do Jovem Empreendedor da ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários. O anúncio foi feito na cerimónia desta quinta-feira, que se realizou no Palácio Nacional da Ajuda, em Lisboa.

No total, esta startup vai receber 25 mil euros: dez mil para aplicar no capital social e 15 mil euros para serviços de formação/mentoria, coaching, incubação, aceleração e networking. A ANJE acrescenta, em comunicado, que a Newton vai ter ainda a possibilidade de ser financiada pela Portugal Ventures, a sociedade de capital de risco pública que é parceira deste prémio.

A shortlist de finalistas foi escolhida pelo júri do prémio — constituído por especialistas do setor empresarial e financeiro — e a Newton ficou à frente das startups Ydata e Hijiffy.

“A Newton tem as características essenciais dos negócios da nova economia: conhecimento especializado, inovação disruptiva, tecnologias digitais, capital humano, escalabilidade e dimensão internacional”, referiu José Pedro Freitas, presidente da ANJE, citado em comunicado.

Para o responsável da ANJE, os projetos das últimas edições deste prémio “eram inovadores, baseavam-se em conhecimento e incorporavam tecnológica”. Estes três aspetos, acrescenta, são “um reflexo da crescente sofisticação do empreendedorismo português, bem como da consolidação da ANJE como hub de startups de base tecnológica”.

Hélder Silva e Rui Costa começaram por criar a Newton Labs em 2016, depois de se terem conhecido numa maratona de programação. “Na altura, desenvolvemos uma rede alumni para aproximar os antigos alunos das universidades e recrutadores, mas depois começámos a perceber que teríamos muita dificuldade em monitorizar o produto”, explicou, em março, ao Observador Hélder Silva.

Apesar de a ideia inicial não ter resultado, os dois fundadores perceberam que existia uma lacuna no mercado de trabalho que poderia ser explorada: o processo inicial de recrutamento entre empresas e candidatos demorava demasiado tempo. Desenvolveram, assim, um sistema com inteligência artificial que cruz o deep learning e o processamento de linguagem natural. O objetivo é facilitar a vida das empresas no processo de recrutamento, mas também ajudar os próprios candidatos a conseguirem chegar às ofertas de emprego mais apropriadas para o seu perfil e experiência.

Depois de serem convidados para um programa da aceleradora Plug and Play, os dois empreendedores foram desenvolver a startup em São Francisco, nos Estados Unidos. Em abril de 2018, nascia a Newton, que no final desse ano já valia 5,1 milhões de dólares (cerca de 4,50 milhões de euros). A empresa está, neste momento, a expandir a atividade para a Europa e Ásia, incluindo Portugal e Japão. Na lista de clientes estão já empresas como a Nike, a Uber, o YouTube e a Starbucks.

Ainda nos prémios de empreendedorismo, António da Silva Rodrigues recebeu o Prémio Carreira. Houve ainda vencedores nas quatro novas categorias estreadas nesta edição: Vhils (Cultura), o programa Mentes Empreendedoras (Empreendedorismo Social), maksense (Exportador) e Ricardo Santos Silva (Diáspora).

O Prémio Jovem Empreendedor foi criado em 1998 pela Academia dos Empreendedores da ANJE e é o prémio de empreendedorismo mais antigo do país. Ao todo, já foram galardoados 44 projetos empresariais em 21 edições.