Um tribunal sul-africano rejeitou esta sexta-feira um recurso do ex-chefe de Estado Jacob Zuma que pretende evitar o julgamento por corrupção num caso de venda de armamento. O Tribunal de Pietermaritzburg, numa breve declaração, anunciou que o “pedido de Zuma foi rejeitado”.

O tribunal tomou a mesma posição em relação ao pedido que tinha sido formalizado pela empresa de defesa e eletrónica francês Thales, que está implicada no mesmo processo.

Zuma, no poder entre 2009 e 2018, foi acusado de ter recebido dinheiro da Thales (245 mil euros) por ter favorecido um contrato de armamento, em 1999, incluindo a construção de navios de guerra.

Julgamento de Zuma reafirmado por corrupção e fraude em nome da igualdade

Apesar de o pedido ter sido recusado esta sexta-feira, Jacob Zuma e a empresa Thales podem ainda recorrer a instâncias superiores sul-africanas.