O desportivo compacto da Renault, hoje apontado como o mais rápido e o mais eficaz entre os modelos do género, com apenas tracção à frente, começou por se impor contra a concorrência, nomeadamente o Honda Civic Type-R, um dos anteriores recordistas, no clássico circuito alemão de Nürburgring. Depois de estabelecer a volta mais rápida na catedral do automobilismo, a Renault tem visitado outras pistas com a sua “bomba” e agora foi a vez de Suzuka, no Japão.

Por ocasião do Grande Prémio de Fórmula 1 (F1) japonês, a Renault fez deslocar, juntamente com a sua equipa de F1, o Mégane RS Trophy-R, com a finalidade de ali chamar a si mais um recorde. A mesma unidade já tinha visitado a pista de Spa-Francorchamps, na Bélgica, e Bend Motorspoert, na Austrália. O Japão é um importante mercado para a marca francesa, uma vez que ali há mais do que 10.000 fãs do Trophy-R nas redes sociais.

Com o piloto Laurent Hurgon aos comandos, o Mégane RS Trophy-R percorreu uma volta à pista de Suzuka em 2 minutos, 25,454 segundos, deixando o anterior recorde a mais de 3 segundos. De recordar que Trophy-R é um modelo de que apenas não ser construídas 500 unidades, todas elas vendidas.

Curiosamente, esta “bomba” com tracção apenas às rodas da frente é um dos desportivos menos possantes da classe, o que significa que o seu tempo canhão se fica a dever à eficácia do chassi. O Trophy-R está equipado com um motor com apenas 1.8 litros, ao contrário dos adversários com 2.0, com uma potência de 300 cv. Caso este Mégane RS de 300 cv visse a sua capacidade incrementada para dois litros, a sua potência, mantendo o mesmo rendimento específico, atingiria 333 cv, mais do que os 320 cv do Civic Type-R.