Os casinos de Macau fecharam o mês de novembro com receitas de 22,88 mil milhões de patacas (2,58 mil milhões de euros), uma queda de 8,5% face a igual período do ano passado, anunciaram hoje as autoridades.

De acordo com os dados publicados na página online da Direção de Inspeção e Coordenação de Jogos (DICJ), as receitas provenientes do jogo registaram no último mês a segunda queda mais acentuada do ano, depois de agosto, quando caíram 8,6%.

As receitas brutas acumuladas de janeiro a novembro totalizaram 269,62 mil milhões de patacas (30,28 mil milhões de euros), menos 2,4% do que no ano anterior, indicou a DICJ.

No mesmo período de 2018, as receitas brutas acumuladas foram de 276,38 mil milhões de patacas (31,11 mil milhões de euros).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Em relação ao mês passado, as receitas dos casinos registaram uma descida de 3,57 mil milhões de patacas (cerca de 400 milhões de euros).

Capital mundial do jogo, Macau é o único local na China onde o jogo em casino é legal. Operam no território seis concessionárias: Sociedade de Jogos de Macau, fundada pelo magnata Stanley Ho, Galaxy, Venetian, Melco Resorts, Wynn e MGM.

Em 2018, as receitas dos casinos na capital mundial do jogo cresceram 14%, para 302,8 mil milhões de patacas (cerca de 33 mil milhões de euros).