A custódia de Kiara, a cadela de sete anos que estava a ser disputada em tribunal por um ex-casal, foi atribuída à dona. A decisão tomada pelo juiz do Tribunal de Família e Menores de Mafra teve em conta que a mulher sempre mostrou interesse e dedicação, embora o magistrado tenha concluído que o “bem-estar da cadela será sempre bom com qualquer um dos intervenientes”, cita o Público.

Na sentença, o juiz referiu que “foi a requerida que, ao sair de casa, levou a Kiara consigo, não a deixou com o requerente. E depois deixou que ficasse com o requerente também em períodos curtos enquanto não tinha qualquer relacionamento e o requerente sempre ficou tranquilo com isso”. Situação que só se alterou quando a mulher iniciou um novo relacionamento e o ex-companheiro reclamou “o direito de ficar” com a Kiara “em períodos iguais”. A partilha do animal terminou quando a dona engravidou, conta o Público.

Considerando que Kiara obedecia tanto a um como a outro e que o seu bem-estar estaria salvaguardado com qualquer um dos donos, o juiz decidiu entregar a cadela à mulher por ter sido quem tomou a iniciativa de ficar com ela na altura da separação. Para esta decisão, pesaram o testemunho do ex-casal e das testemunhas, refere o mesmo jornal.