As autoridades portuguesas participaram numa operação internacional liderada pela agência europeia de polícia, Europol, e que levou ao encerramento de mais de 30 mil domínios de distribuição e venda de produtos contrafeitos online, foi esta segunda-feira divulgado.

A operação, que envolveu 18 países, incluindo Portugal, a Eurojust e a Interpol, identificou 30.506 sites que vendiam produtos de contrafação — incluindo roupa, perfumes e medicamentos — e difusão “pirata” de filmes, música e conteúdos televisivos.

Da operação resultou a detenção de três suspeitos e a apreensão de 26 mil bens de luxo (roupas e perfumes), 363 litros de bebidas alcoólicas e foram ainda congelados mais de 150 mil euros em contas bancárias e plataformas de pagamento online.

Esta operação insere-se no objetivo da Europol de tornar a Internet mais segura para os consumidores.