O Exército alemão pediu esta segunda-feira desculpas por ter publicado na terça-feira, na rede social Instagram, uma foto da farda das Wehrmacht, as forças armadas do regime nazi, enfeitada com cruzes de ferro e suásticas.

O atual Exército alemão, o Bundeswehr, publicou a fotografia na sua conta oficial do Instagram com o comentário “Retro”, apresentando uma farda das Wehrmacht.

A fotografia, tirada no Museu de História Militar de Dresden (no leste da Alemanha) e sobre a qual estava escrito o comentário “ainda hoje o estilo militar é alta costura”, foi vista pelo jornal diário Bild, antes de ser retirada da rede social.

O exército e o Ministério da Defesa da Alemanha pediram desculpas pelo “erro inaceitável”, alegando que a foto foi publicada por engano e que fazia parte de um estudo fotográfico sobre “a influência militar na moda”.

“O extremismo é absolutamente proibido no Bundeswehr em todas as suas formas”, garantiram o exército e o ministério numa mensagem comum publicadas nas redes Instagram, Facebook e Twitter.

O Bundeswehr foi criado em 1955, em rutura com as Wehrmacht, conjunto das forças armadas da Alemanha durante o Terceiro Reich — entre 1935 e 1945 — e que abrangia o Exército, a Marinha de Guerra, a Força Aérea e tropas das Waffen-SS.

Em 2018, a então ministra da Defesa, Ursula von der Leyen, admoestou o Bundeswehr depois de saber que capacetes e outros materiais da época nazi estavam expostos num quartel. Na altura, Ursula von der Leyen, agora presidente da Comissão Europeia, também ordenou que os quartéis que ainda mantinham o nome de oficiais das Wehrmacht, como Edwin Rommel, fossem rebatizados.