O Presidente da República agradeceu no domingo à noite aos portugueses os contributos para a campanha do Banco Alimentar Contra a Fome, que deverá ter recolhido cerca de duas mil toneladas de alimentos.

Depois de ter estado na sexta-feira na sede nacional da Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares Contra a Fome, em Lisboa, e de ter contribuído para a campanha em hiper e supermercados durante o fim de semana, Marcelo Rebelo de Sousa voltou no domingo à noite à sede da recolha de alimentos em Alcântara já depois das 23h00.

Apesar de ainda não haver um balanço final, o chefe de Estado salientou que os números de sábado “ultrapassaram os da campanha anterior”.

“Para mim é uma boa surpresa, o tempo esteve muito mau, muito irregular, e isso dificulta uma campanha desta natureza. Por outro lado, não se sabia se havia ou não uma ligeira desaceleração económica, como é que as pessoas iam realmente reagir e foram espetaculares em termos de solidariedade”, destacou. “Significa que os portugueses se excederam, quem está de parabéns são os portugueses”, reforçou.

A presidente da federação que reúne os 21 Bancos Alimentares de todo o país, Isabel Jonet, afirmou aos jornalistas que, apesar de estar na instituição há 25 anos, fica “sempre surpreendida com a rede social real” que é possível construir.

Estas campanhas só são possíveis porque há pessoas que dão tempo, como os voluntários, pessoas de todas as idades, de todas as classes sociais, de todas convicções que, lado a lado, querem mostrar ativismo e que estão presentes para aqueles que não têm comida na mesa todos os dias. No Natal, isso é ainda mais importante”, afirmou.

Isabel Jonet agradeceu também a todas as pessoas que, nos hiper e supermercados, doaram bens, “muitas vezes elas próprias com necessidades”.

“Presumo que vamos ter cerca de duas mil toneladas, dois milhões de quilos de alimentos“, estimou, remetendo o balanço final para mais tarde, ainda esta madrugada. A presidente do Banco Alimentar salientou que, durante a próxima semana, ainda é possível contribuir para a campanha na Internet em alimentestaideia.pt.

“O senhor Presidente da República tem sido um parceiro muito relevante (…) É um bom embaixador, dá não só o tempo dele, mas contribui também com produtos”, afirmou.

Questionada se esta campanha de recolha irá superar a do Natal do ano passado — em que se conseguiram 2.146 toneladas de alimentos –, Isabel Jonet considerou que em todas se batem recordes. “O que mais gostaríamos é que o Banco Alimentar não fosse necessário, cada vez que se monta uma cadeia de solidariedade destas para nós é sempre um recorde absoluto”, afirmou.

A campanha do Banco Alimentar Contra a Fome decorreu durante este fim de semana em cerca de duas mil lojas em todo o país, e contou com o apoio de mais de 40 mil voluntários.

Em Alcântara, perto da meia-noite era ainda visível a azáfama, com as empilhadoras no exterior a continuarem a trazer caixas com alimentos, enquanto no interior dezenas de voluntários separavam os produtos. O Presidente da República ainda ajudou a essa separação, que decorria num ambiente de grande agitação e ao som de música animada.