Foi com um excerto de uma carta publicada em 2004, a primeira dos dois co-fundadores do Google, que Larry Page e Sergey Brin começaram mais uma carta/anúncio. Desta feita não para inaugurar uma nova era na internet, mas para se despedirem dos cargos que atualmente ocupam na Alphabet, casa-mãe do motor de busca (que foi criada para agrupar as várias empresas do grupo que, ao longo dos anos, cresceu).

No texto de despedida, Page e Brin reconhecem que a empresa “amadureceu”. “Hoje, em 2019, se a empresa fosse uma pessoa, seria um jovem adulto de 21 anos e esta seria a hora de deixar o cadeirão”, escreveram.

Apesar de deixarem os cargos de CEO (Larry Page) e presidente (Sergey Brin), vão continuar com assento no conselho de acionistas da empresa e planeiam “permanecer ativamente envolvidos”.

A partir de agora será o CEO da Google, Sundar Pichai — que chegou ao cargo a 10 de agosto de 2015—, a assumir também o cargo de CEO da Alphabet.