A operação no Aeroporto Internacional da Madeira continua condicionada devido aos ventos fortes e nenhum avião descolou ou aterrou desde as 00 de quinta-feira, num total programado de 26 partidas e igual número de chegadas, informou fonte aeroportuária.

“As previsões apontam ainda para algum vento amanhã de manhã [sexta-feira], mas à tarde deverá estar melhor”, disse à agência Lusa a mesma fonte.

Durante a quinta-feira, cinco aviões tentaram aterrar no Aeroporto da Madeira, localizado no concelho de Santa Cruz, zona leste da ilha, mas divergiram para Canárias e Porto Santo, tendo sido reprogramados para sexta-feira.

Fonte da TAP informou, por seu lado, que vai realizar esta sexta-feira dois voos extra em Airbus A330, aviões com mais capacidade, para transportar o “maior número possível de passageiros” que ficaram retidos devido ao mau tempo. O primeiro voo sai de Lisboa para o Funchal às 13h45 e o segundo às 19h. No sentido inverso, Funchal-Lisboa, o primeiro voo está previsto para as 16h15 e o segundo para as 21h30.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) emitiu na quarta-feira um aviso laranja para o arquipélago da Madeira, até às 21h00 de quinta-feira, por causa do vento forte.

Dados do IPMA dão conta que, desde as 00h de quinta-feira, a rajada mais forte sentida foi de 150 quilómetos/hora (km/h), registada por uma estação no Chão do Areeiro, nas zonas montanhosas. No aeroporto, a rajada mais forte foi de 109 km/h, registada às 10h10, também de acordo com os dados do IPMA.

As más condições atmosféricas atingem ainda o mar e a Capitania do Porto do Funchal emitiu também um aviso de agitação marítima forte até às 18h de sexta-feira, aconselhando as embarcações a regressar aos portos de abrigo.

A Porto Santo Line cancelou, por seu lado, as viagens de quinta-feira do navio “Lobo Marinho” para a ilha do Porto Santo, devido ao mau tempo no mar, indicando que os bilhetes foram automaticamente alterados para sexta-feira, com partida do Funchal às 08:00 e regresso às 14h. Para esta quinta-feira estava também agendado o primeiro movimento de ‘turnaround’ de um navio cruzeiro no porto do Funchal, mas foi cancelado devido ao mau tempo.

O Instituto das Florestas e Conservação da Natureza emitiu um alerta para a não realização de percursos pedestres no arquipélago, enquanto durar o aviso. O Serviço Regional de Proteção Civil recomendou às pessoas que fechem as portas e janelas, evitem viajar nas zonas afetadas pelo aviso meteorológico, não circulem por zonas com prédios degradados e prestem atenção às estruturas montadas (andaimes, toldos, tendas, telhados).