A Casa Branca informou Congresso dos Estados Unidos esta sexta-feira que recusa participar de audições de impeachment contra o presidente norte-americano Donald Trump, no Comité Judiciário da Câmara dos Representantes, na próxima semana. A informação é avançada pela CNN, que teve acesso a uma carta enviada pelo advogado da Casa Branca, Pat Cipollone, ao presidente do Comité, Jerry Nadler.

Na carta datada de 6 de dezembro e com apenas dois parágrafos, o advogado defende que o impeachment é “completamente infundado” e considera-o um “abuso de poder imprudente, por parte da Câmara dos Representantes”.

A Câmara dos Representantes já perdeu tempo suficiente com esta charada. Devem acabar com este inquérito agora e não gastar mais tempo com audições adicionais”, lê-se na carta.

Embora a carta não indique especificamente que a Casa Branca não quer participar na audições, essa informação foi confirmada pela CNN junto de um alto funcionário do Governo. “A carta comunica que não participaremos neste processo“, disse a mesma fonte.

A carta foi enviada um dia depois de a presidente da Câmara dos Representantes, a democrata Nancy Pelosi, ter acionado a votação para o impeachment de Trump, que acusa de “ter abusado do seu poder para extrair benefícios políticos”.

Esta carta não é uma surpresa. A Casa Branca já tinha recusado participar na primeira audição do processo de impeachment. “Não se pode legitimamente esperar que participemos numa audição quando os nomes das testemunhas não foram divulgados, ao mesmo tempo que se mantém a dúvida de que a comissão judicial possa garantir ao Presidente um processo justo”, escreveu Pat Cipollone, numa outra carta enviada também a Jerry Nadler.