O grupo de materiais de telecomunicações sueco Ericsson aceitou pagar mil milhões de dólares (904 milhões de euros) no quadro de um acordo amigável, concluído com o Departamento de Justiças dos EUA.

O grupo sueco era acusado de pagar “luvas” em cinco países. “A conduta corrupta da Ericsson envolveu dirigentes de topo, durante mais de 17 anos e em pelo menos cinco países, tudo isto para alimentar os seus lucros”, denunciou Brian A. Benczkowski, diretor do departamento de Assuntos Criminais.