O nome Caroll Spinney pode não ser muito conhecido, mas o mesmo não se pode dizer das personagens que interpretou em vida, durante cinco décadas. O homem que deu movimento e voz a “Big Bird” e “Oscar The Grouch” (Poupas e Ferrão, na versão que foi adaptada em Portugal) na série norte-americana “Rua Sésamo”, que se estreou nos Estados Unidos em 1969, morreu este domingo aos 85 anos. Spinney foi o arquiteto por detrás da criação das personagens que só aterrariam em Portugal em 1989.

Além do pequeno ecrã, Spinney deu vida a estas personagens em espetáculos ao vivo em todo o mundo e chegou a levá-las à Casa Branca por diversas vezes, acrescenta o The New York Times, que este domingo lhe dedica um obituário. Em 1973, na sequência do avanço diplomático entre o presidente norte-americano Richard Nixon e a China comunista, o mestre das marionetas viajou para Pequim para uma performance.”Big Bird”, ou Poupas, seguia a seu lado no avião. “Deram-nos meio bilhete porque ele só tinha seis anos”, contou em tempos.

“Já me habituei ao facto de o Big Bird ser muito famoso e de eu não ser ninguém”, disse em 2010 à publicação Yankee. “Fiz as pazes com isso. Ainda bem que não sou reconhecível.”

Spinney morreu este domingo em casa, em Woodstock, vítima de doença prolongada. No Twitter, a conta oficial de “A Rua Sésamo” partilhou uma nota de pesar, onde esclarece que Spinney sofria de distonia, uma doença do sistema nervoso.

Caroll Edwin Spinney nasceu em Waltham, em Massachusetts, a 26 de dezembro de 1993. Cresceu com dois irmãos perto de Boston e desde cedo se mostrou uma criança “tímida, solitária e artística”, tal como conta o The New York Times. Na infância, o pai desaprovou a veia artística do filho, enquanto a mãe a impulsionou. Aos 12 anos, Spinney tinha 70 marionetas, muitas delas feitas pela mãe.