Cerca de 2.400 pessoas fizeram este domingo um cordão humano no centro de Bruxelas para chamar a atenção para a emergência climática no planeta.

O protesto aconteceu em Bruxelas por ocasião da cimeira do clima da Organização das Nações Unidas (COP25), que decorre em Madrid até ao dia 13, e foi organizado pelos movimentos belgas Climate Express e Coalition Climat.

Os manifestantes apelaram aos líderes políticos para que tomem medidas à altura da urgência climática e lamentaram que a Bélgica não vá conseguir cumprir os objetivos climáticos para 2020.

Em declarações à agência Belga, o presidente da Coalition Climat, Nicolas Van Nuffel, afirmou que as medidas da Bélgica anunciadas para 2030 são insuficientes e que o país “não tem uma posição clara sobre a neutralidade carbónica para 2050.

A Cimeira sobre Alterações Climáticas de Madrid começou no dia 02 e termina no dia 13.

Esta ‘cimeira do clima’ estava inicialmente prevista para se realizar no Chile, mas no final de outubro o governo chileno decidiu cancelar o evento alegando não haver condições devido a um movimento de contestação interna e de agitação civil.

O governo espanhol avançou com a proposta de organizar a grande conferência anual sobre Alterações Climáticas, apesar de a presidência da reunião continuar a pertencer ao Chile.

Segundo os objetivos definidos pela comunidade científica e em acordos assinados, mas ainda não ratificados por todos os países do mundo, nomeadamente os Estados Unidos, um dos mais poluidores, é necessário limitar a menos de 1,5 graus o aumento da temperatura global até ao fim do século.