Oscar Ricardo Valero Recio Becerra queria muito ler a biografia do autor e aventureiro italiano Giacomo Casanova, um livro que podia ser seu por nove euros. No entanto, este mexicano de 76 anos optou por levar o livro que tanto desejava sem o pagar. Até aqui, tudo parece um roubo banal, praticado por um amante de livros com pouco mais do que uns trocos na carteira.

Mas a verdadeira história não se fica por aqui. Oscar Recio Becerra, na verdade, é o embaixador do México na Argentina. E a decisão de levar o livro sem pagar – poupando assim 9 euros – pode mesmo custar-lhe o cargo. O caso parece tão insólito que o polícia que foi chamado ao local teve de lhe perguntar várias vezes qual era a sua profissão. Isto para ter a certeza de que não se tratava de um erro, escreve o El País.

O momento em que o diplomata mexicano sai da livraria mais famosa de Buenos Aires, El Ateneo Grand Splendid, foi captado pelas câmaras de vigilância. Oscar Valero escondeu o livro no meio de um jornal e, após ter comprado, segundo o jornal espanhol, alguns CD’s, decidiu sair da loja. O roubo saiu frustrado porque, ao sair da loja, o diplomata acionou o alarme.

Quando lhe foi pedido que regressasse à livraria, o embaixador tinha em seu poder o recibo relativo aos CD’s, mas nenhum que provasse a compra do livro. Foi aí que os funcionários da livraria chamaram a polícia.

O insólito incidente rapidamente se transformou num escândalo diplomático, escreve o jornal espanhol, acrescentando que a situação agora está a ser investigada. O ministro das Relações Exteriores do México, Marcelo Ebrard, esclareceu – numa publicação no Twitter – que o embaixador foi obrigado a regressar a casa. E sentenciou: “se se verificar que o vídeo é verdadeiro, este será afastado da posição imediatamente. Tolerância zero à desonestidade”.

O Presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, já se pronunciou, tendo pedido numa conferência de imprensa que o caso seja tratado com cautela e que “não haja linchamentos públicos”.

Valero foi designado embaixador do México na Argentina por López Obrador no passado dia 15 de julho. Antes de assumir o cargo, era investigador no Instituto de Investigações Jurídicas da Universidade Nacional Autónoma do México e dirigia o Centro Latinoamericano da Globalidade.