Um tiroteio no Hospital Universitário de Ostrava, na República Checa, fez esta terça-feira seis mortos. O atirador, que estava em fuga, suicidou-se quando foi intercetado pelas autoridades ainda durante a manhã, informou a polícia checa.

O número de vítimas mortais foi inicialmente adiantado pelo primeiro-ministro, Andrej Babiš. Em declarações à televisão checa, Babiš explicou que os dois feridos graves acabaram por morrer, elevando para seis o número de vítimas mortais. O balanço anterior dava conta de quatro mortos e dois feridos.

O ataque aconteceu pelas 7h19 (6h19 em Lisboa), numa sala de espera das instalações hospitalares, localizadas no distrito de Poruba, adiantou também o primeiro-ministro checo. A polícia chegou ao local alguns minutos depois, às 7h24, e estabeleceu um perímetro de segurança. Porém, o suspeito conseguiu fugir.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O hospital e o campus da Universidade Técnica de Ostrava foram evacuados e os acessos encerrados pelas autoridades. As aulas desta terça-feira foram canceladas.

O atirador, que estava em fuga num Renault Laguna cinzento, com a matrícula 9T57401, foi intercetado pela polícia ainda durante a manhã desta terça-feira. No Twitter, as autoridades informaram que dispararam sobre o veículo, mas que o homem “deu um tiro na própria cabeça” antes de o conseguirem atingir. A polícia chegou a partilhar uma fotografia do atacante, que foi entretanto retirada.

Desconhecem-se, para já, as motivações do tiroteio.

A cidade de Ostrava fica localizada na zona nordeste da República Checa, junto à fronteira com a Polónia. Tem uma população de 290 mil pessoas.