A presidente do Parlamento russo, Valentina Matviyenko, afirmou esta quarta-feira que o país pode organizar os seus próprios Jogos Olímpicos, sem a intervenção da Agência Mundial Antidopagem (AMA) e com a participação de “atletas de classe mundial”.

“Acho que a Rússia pode realizar os seus próprios Jogos Olímpicos, para os quais convidaria os melhores atletas, os atletas de classe mundial. A Rússia tem uma enorme experiência na organização de grandes competições internacionais”, afirmou Matviyenko, em declarações à comunicação social russa.

Na segunda-feira, a Rússia foi excluída das competições internacionais por um período de quatro anos, na sequência da descoberta de um esquema de doping com conhecimento e apoio estatal, tornado público há cerca de seis anos.

Além da ausência em Tóquio2020, o país ficará também impedido de participar em outras grandes competições mundiais, incluindo a qualificação para o Mundial de futebol de 2022.

“A AMA é uma das muitas organizações desportivas mundiais que estão a passar por uma crise. Os nossos atletas podem continuar a preparar-se para todas as competições. Não devem parar e todos devemos estar unidos. A AMA não é a inquisição”, frisou Matviyenko.

De acordo com a AMA, “os atletas que quiserem participar em Jogos Olímpicos ou Paralímpicos, ou em qualquer outro evento abrangido pela decisão, terão de provar que não estão envolvidos nos programas de doping descritos no relatório McLaren, ou que as suas amostras não foram falsificadas”.