O rei de Espanha decidiu esta quarta-feira indicar Pedro Sánchez como candidato a Presidente do Governo, depois da vitória do PSOE nas eleições de 10 de novembro. A decisão foi anunciada pela presidente do Congresso.

Sua majestade o Rei […] comunicou-me a sua decisão de propor Pedro Sánchez como candidato a primeiro-ministro” do executivo espanhol, disse Meritxell Batet depois de se reunir com Felipe VI.

O socialista tem agora de tentar formar Governo e submeter-se à votação da investidura no parlamento — que, no verão passado, falhou duas vezes, acabando por provocar novas eleições.

Sánchez, que já anunciou que aceita a indicação do rei, vai agora começar uma ronda de encontros com os partidos da oposição para juntar apoios. Ainda que a investidura, desta vez, esteja praticamente assegurada, depois do acordo de coligação entre o PSOE e o Unidas Podemos, que entrega a vice-presidência do Governo a Pablo Iglesias.

Precisará, ainda assim, do apoio de partidos como o PNV, o Más País, de vários grupos pequenos e da Esquerda Republicana da Catalunha (ERC). Os 13 deputados dos independentistas da ERC terão, no mínimo, de se abster para permitir a investidura do líder socialista.