Depois de ser a única startup portuguesa selecionada para a 3ª edição do Dream Assembly, programa de aceleração da Farfetch, a Springkode lançou esta semana a sua primeira colaboração. Katty Xiomara foi a designer escolhida para desenvolver uma coleção cápsula, em parceria com a fábrica Bless, em Guimarães.

“Com esta coleção conseguimos entregar aos nossos clientes o melhor que a indústria da moda tem para oferecer em termos de qualidade de produto, transparência, rastreabilidade e design”, afirma Reinaldo Moreira, General Manager da Springkode.

Ao Observador, a designer conta que o processo começou no armazém da fábrica, uma espécie de “tecidoteca”, onde selecionou materiais excedentes de produções anteriores, ou seja, tecidos estagnados e sem uso. “Havia uma diversidade enorme, foi uma pesquisa intensa”, revela.

Malhas e algodões orgânicos foram algumas matérias primas escolhidas para esta coleção outono-inverno, onde as riscas na camisaria ou em relevo nos casacos e os bordados nas golas são alguns detalhes que saltam à vista. Calças, camisas, vestidos e sobretudos fazem parte de uma oferta eco-friendly, marcada por um estilo funcional e tons neutros.

Para Katty Xiomara, “a ideia de negócio da Springkode é genial”, uma vez que privilegia a qualidade e as “sinergias” entre fábricas e designers de moda. “Desta forma, é possível revelar ao público em geral uma espécie de ideia nebulosa, de que em Portugal se consegue produzir coisas com grande qualidade”, explica. A designer considera importante existir um canal, como esta startup, que disponibiliza moda “sem ter uma máquina de marketing por trás” e assim poder “levantar a bandeira da marca branca”.

Atualmente, a Springkode trabalha com 13 fábricas portuguesas, mas já se encontra em conversações com potenciais parceiras espanholas, romenas e inglesas. Cerca de 80% das vendas estão em Portugal, onde a aposta no marketing é mais forte, sendo que a restante fatia pertence a países como Espanha, Reino Unido ou França. No futuro, a marca quer chegar a “outras geografias” e espera, em 2020, atingir os 300 mil euros de faturação.

A coleção com Katty Xiomara marca o início de uma série de colaborações futuras entre a plataforma de e-commerce portuguesa, as suas fábricas parceiras e designers de renome internacional.