Ron Vara, o alter ego do principal conselheiro em política comercial da Casa Branca, voltou a aparecer. Em outubro, Peter Navarro foi desmascarado por Tessa Morris-Suzuki, uma professora universitária da Australian National University. Nessa altura, o mundo ficou a saber que o conselheiro de Donald Trump tinha criado Ron Vara (um anagrama do seu apelido), um perito sobre a China, para, em seguida, o citar diversas vezes em cinco dos seus 13 livros.

Agora, numa altura em que os EUA discutem o conflito comercial com o gigante asiático, a personagem fictícia regressa para partilhar as suas ideias. Segundo o New York Times, um memorando assinado por Ron Vara — enviado de um email com o mesmo nome — está a ser divulgado por vários meios e a circular em Washington e o próprio Peter Navarro, conhecido pela sua hostilidade para com a China, confirmou ao jornal a veracidade do documento.

A ideia, segundo o NYT, era a de que a mensagem do perito fictício, pró-tarifas, pudesse influenciar as atuais negociações. “Tire o mercado  da incerteza ao não anunciar qualquer acordo depois das eleições e aumente as tarifas alfandegárias até à vitória [nas eleições presidenciais de 2020]”, lê-se na nota da personagem imaginária. Está prevista a entrada em vigor de novas tarifas alfandegárias no próximo domingo.

Desde o início do ano que as relações entre a China e os EUA se têm deteriorado no seguimento da guerra comercial. Segundo Trump, os antigos acordos económicos prejudicavam a economia norte-americana. Ao impor novas tarifas para a China, o país oriental ripostou também com tarifas a produtos dos EUA. Dos dois lados estão empresas que pedem o fim a este conflito económico por isto prejudicar a produção e venda de produtos.

Ron Vara apareceu pela primeira vez no livro de Navarro de 2001, “If It’s Raining in Brazil, Buy Starbucks” (Se está a chover no Brasil, compre Starbucks). Foi descrito como um reservista da Guerra do Golfo que, tal como Navarro, estudou economia em Harvard.