A Didimo, uma startup portuguesa que desenvolve humanos digitais (avatares) para ajudar a fornecer serviços online, fechou uma ronda de investimento de mais de 4,4 milhões de euros. O financiamento vai servir para aumentar a equipa de desenvolvimento de produto e expandir o mercado através de mais parcerias.

Em comunicado, a startup sediada no Porto indica que a ronda de financiamento contou com investidores como a Portugal Ventures, a Farfetch, a Bynd Venture Capital, a Beta-i e a LC Ventures. Simultaneamente, a empresa conseguiu também um investimento de 1,8 milhões de euros com o programa SME Instrument, da Comissão Europeia.

A Didimo — que significa “gémeo” em grego —  cria modelos digitais de cada pessoa ou empresa para interagirem em vários serviços online. “Embora, a cada minuto, ocorram milhares de milhões de interações virtuais em todo o ecossistema digital, estas ainda carecem de elementos humanos essenciais, como emoção, empatia e subtilezas. A Didimo procura devolver a humanidade ao mundo digital através de representações digitais de alta fidelidade”, indica a startup em comunicado.

Na plataforma, os utilizadores fazem upload de uma fotografia sua e a tecnologia da Didimo vai, de seguida, criar uma personagem 3D que pode ser utilizada para interagir em jogos, no cinema, mas também em compras, comunicações e até na medicina, desporto ou retalho. Entre os projetos piloto da startup estão nomes de empresas como a Sony e a Amazon.

Ao longo da história, vimos barreiras a ser construídas, apenas para serem derrubadas novamente. Hoje, num mundo baseado na Internet, temos mais oportunidade de nos conectar do que nunca. No entanto, quando a comunicação é intermediada pela tecnologia, muitas vezes perdemos a humanidade dessa ligação”, refere Verónica Orvalho, fundadora e presidente da Didimo, citada em comunicado.

A responsável pela startup refere ainda que a missão da plataforma passa por “derrubar as barreiras entre os mundos físico e digital, ajudando os humanos a transportarem-se através dessa divisão”. “Queremos dar a todos a hipótese de usar a tecnologia com base na imagem que conhecemos melhor – a nossa”, acrescentou.

Fundada em 2016, em Portugal, a Didimo tem atualmente 22 colaboradores, distribuídos pelo Porto, Vancouver e Londres. Em 2017, a tecnologia usada pela startup venceu o Women Who Tech, em Nova Iorque.