O Papa Francisco aprovou a publicação do decreto que reconhece as “virtudes heroicas” do padre Américo, fundador da Obra da Rua, passo decisivo no processo com vista à beatificação, anunciou esta quinta-feira o Vaticano.

A publicação do decreto sobre as virtudes heroicas foi autorizada pelo Papa Francisco após uma audiência com o prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, cardeal Angelo Amato, na quarta-feira, informou a agência Ecclesia. O reconhecimento das “virtudes heroicas” é necessário no processo para a beatificação — iniciado em 1986 – ficando a faltar o reconhecimento de um milagre atribuído à intercessão do padre Américo.

Américo Monteiro de Aguiar, conhecido como padre Américo, nasceu em Galegos, concelho de Penafiel, em 1887, e faleceu no Hospital de Santo António, no Porto, em 1956, tendo instituído a Obra da Rua em janeiro de 1940, com a fundação da primeira Casa do Gaiato.

Segundo uma divulgada aquando do cinquentenário da morte do padre Américo, e hoje citada pela Ecclesia, a Conferência Episcopal Portuguesa destacou a “conversão radical a Deus e ao serviço dos pobres” que o levou a ordenar-se padre aos 36 anos, “entregando-se desde logo a visitar cadeias, hospitais e os tugúrios de famílias marginalizadas”.

“Para estas lança a cadeia de construção que foi o ‘Património dos Pobres’ e para o amparo de doentes incuráveis cria o recolhimento do ‘Calvário’. A sua genial iniciativa, porém, foi a ‘Obra da Rua’, destinada a acolher e promover rapazes desamparados”, acrescenta a nota.