A desflorestação da Amazónia brasileira aumentou 104% em novembro face ao mesmo mês do ano passado, informou esta sexta-feira o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Este organismo divulgou dados do Sistema de Deteção do Desmatamento em Tempo Real (Deter), que faz um mapeamento por satélite e dispara alertas para auxiliar as ações de combate à destruição das florestas do país.

Entre 1 e 30 de novembro foram destruídos 563 quilómetros quadrados da floresta amazónica no Brasil. De janeiro a novembro de 2019, o sistema Deter indicou que 8.695 mil quilómetros quadrados de floresta amazónica estiveram sob alerta de desflorestação.

Segundo informações divulgadas pelo governo brasileiro em 18 de novembro, a taxa anual de desflorestação da Amazónia brasileira cresceu 29,5% entre agosto de 2018 e julho de 2019 relativamente ao período proporcionalmente anterior. Num ano, a maior floresta tropical do mundo perdeu 9.762 quilómetros quadrados da sua cobertura vegetal no Brasil, atingindo o maior nível de desflorestação registado no país desde 2008.

A Amazónia é a maior floresta tropical do mundo e possui a maior biodiversidade registada numa área do planeta. Tem cerca de 5,5 milhões de quilómetros quadrados e inclui territórios do Brasil, Peru, Colômbia, Venezuela, Equador, Bolívia, Guiana, Suriname e Guiana Francesa (pertencente à França).