O número de portugueses que admite gozar férias durante o Natal e Ano Novo subiu ligeiramente face a 2018, optando a maioria por ficar em Portugal, segundo um inquérito do IPDT, entidade especializada em consultoria na área, em parceria com a Soltrópico.

De acordo com informação divulgada esta sexta-feira, 40% dos inquiridos responderam que iriam fazer férias fora de casa nesta altura, “um ligeiro acréscimo de 1,6 pontos percentuais” face a 2018. O inquérito concluiu ainda que dos 40% que tencionam ir de férias no Natal e fim de ano, “69% vão ficar em território nacional”, com as regiões do Centro e do Porto e Norte a aparecerem como destinos preferenciais, “recolhendo 52% das preferências, seguindo-se Alentejo e Açores (15%).

O IPDT revela ainda que “um terço dos turistas portugueses têm como destino o exterior do país, um acréscimo de 5% face ao ano passado” e “Espanha, França e Reino Unido são os principais destinos”. A duração da estadia será, em média, de 4,15 noites, “o que representa um acréscimo face ao período homólogo de 2018 (3,46 noites)”, mas o consumo “diminui ligeiramente face a 2018”. Cada turista nacional “deverá gastar, em média, 180 euros a que corresponde um gasto por noite e turista de 43 euros”, de acordo com o inquérito.

O estudo concluiu também que a “visita a familiares e amigos é a principal motivação que leva os portugueses a optar pelo destino de férias na época natalícia, apontada por 36% dos inquiridos”, sendo que ficam hospedados em alojamento particular, como a casa de familiares ou amigos e em hotéis de 3 e 4 estrelas, referiu o IPDT.

A recolha de dados decorreu entre 19 de novembro e 3 de dezembro de 2019, com a aplicação de um questionário promovido através de uma campanha online, que gerou um total de 518 questionários válidos.