Os custos anuais por hora da mão-de-obra aumentaram, no terceiro trimestre, 2,6% na zona euro e 3,1% na União Europeia (UE), com Portugal a avançar acima da média (5,0%), segundo o Eurostat.

De acordo com os dados esta segunda-feira divulgados pelo gabinete estatístico europeu, os custos horários anuais da mão-de-obra em Portugal subiram, entre julho e setembro, 5% em termos homólogos depois de terem aumentado 0,6% no segundo trimestre do ano e 1,3% no mesmo período de 2018.

Na zona euro, a subida homóloga dos custos da mão-de-obra abrandou para os 2,6% entre julho e setembro, na comparação com os 2,8% do período anterior, mantendo-se estável face ao terceiro trimestre de 2018.

Na média da UE, a subida de 3,1% compara-se com a de 3,2% do trimestre anterior e a de 2,7% do homólogo.

No terceiro trimestre do ano, as maiores subidas anuais do indicador registaram-se na Roménia (13,2%) e na Bulgária (10,0%), enquanto as menores se observaram no Luxemburgo (0,3%) e na Finlândia (0,4%).