“Estamos aqui para trabalhar e perceber o que podemos fazer mais e melhor. Juntar as boas exibições aos resultados, que é o mais importante na vida e no futebol. Foi uma exibição acima da média, os jogadores interpretaram bem o que queríamos”, resumiu Sérgio Conceição após a vitória do FC Porto frente ao Tondela por 3-0 com uma das exibições mais seguras da temporada.

Otávio, o Bom Rebelde que disciplinou uma equipa e fez do golo o seu Óscar (a crónica do FC Porto-Tondela)

“Foi um bom jogo da nossa parte. Os jogadores estavam bem no jogo, marcámos cedo e tivemos a possibilidade de fazer mais um ou outro golo, perante uma equipa que tem sido competente. Tem 14 pontos conquistados, é uma equipa de valia e isso só vem reforçar a nossa excelente exibição”, disse ainda na zona de entrevistas rápidas da SportTV, explicando em paralelo que Danilo não foi opção esta noite por questões físicas, num problema contraído no último encontro diante do Feyenoord.

Das palavras para os números, o FC Porto não só manteve a série 100% vitoriosa no Dragão como atingiu ainda alguns marcos em termos históricos e também no atual Campeonato.

Com mais um encontro sem sofrer golos em casa, a equipa de Sérgio Conceição conseguiu igualar o registo de sete jogos consecutivos a zero na condição de visitado como em 1989/90, ficando agora apenas a duas partidas de repetir a principal campanha a esse nível alcançada em 1991/92. Em paralelo, o FC Porto vai numa série de 12 encontros seguidos sempre a vencer em casa (que começou na última temporada, entenda-se) na qual sofreu apenas um golo de Luiz Phellype, avançado do Sporting.

Ao mesmo tempo, e confirmando a tendência de marcar no primeiro quarto de hora em muitos jogos do Campeonato (em casa os dragões conseguiram fazer pelo menos um golo antes do intervalo), o FC Porto reforçou o estatuto de equipa que marca mais golos de cabeça, com os dois golos de Soares que abriram o marcador na receção ao Tondela antes de Otávio, no início da segunda parte, fazer o 3-0 final.

“Série de golos sem sofrer? Acho que também é aquilo que é a valia das equipas. As equipas que temos  defrontado em casa têm sido e cada vez mais competitivas. Há mais qualidade no trabalho que se faz, as equipas técnicas têm mais qualidade e os próprios jogadores que defrontamos sabem o que fazem e tornam a nossa tarefa difícil. Temos de perceber que é nesse tipo de jogos que se torna necessário o que eles meteram em campo, essa inspiração. Fizemos golos fantásticos hoje, para quem fiz que o FC Porto não consegue jogar bonito, romântico, lírico, não sei a palavra que queiram utilizar, hoje vimos aqui pinceladas de grandíssima qualidade”, comentou Conceição já na conferência de imprensa.

“Estamos atentos ao que a equipa necessita de fazer. Agora, é preciso perceber também a realidade do FC Porto. Temos um plantel equilibrado, com qualidade como já disse. Claramente não temos uma equipa pornográfica como noutros anos no FC Porto mas é uma equipa de qualidade e toda a gente tem vontade enorme de dar o seu melhor para conseguir os objetivos do FC Porto. A seu tempo faremos um balanço mais pormenorizado do que tem sido a carreira da equipa”, concluiu, recordando a entrevista de Villas-Boas falando da formação que ganhou quase tudo em 2010/11.