A depressão “Daniel” trouxe o mau tempo à Península Ibérica, que tem agora de se preparar para a chegada da depressão “Elsa”, que está a chegar a Portugal. Toda a costa continental está esta terça-feira sob aviso amarelo devido à previsão de agitação marítima. As temperaturas baixas vão descer, com Guarda a atingir mínimas de 0 graus Celsius e Bragança de 1 grau, mas há previsões de céu pouco ou parcialmente nublado. As condições adversas devem continuar a agravar-se até quinta-feira, melhorando a partir de sexta-feira, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Para este dia estão previstos aguaceiros até ao início da manhã e períodos de chuva fraca a partir
do fim da tarde no litoral oeste e céu geralmente pouco nublado, apresentando períodos de maior nebulosidade a partir do final da tarde. O alerta para o estado do mar começou às 7h e vai estender-se até ao 12h, com ondas entre os quatro e cinco metros.

O vento soprará de fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante oeste e por vezes forte (até 45 km/h) nas terras altas. A partir da tarde, tornar-se-á moderado a forte no litoral a norte do Cabo Carvoeiro no final do dia. O IPMA prevê ainda para esta terça-feira a queda de neve acima de 800 metros nas regiões Norte e Centro até ao início da manhã e a formação de gelo e geada em especial no interior Norte e Centro.

A situação deverá agravar-se na quarta-feira, com a chegada a depressão Elsa, que terá o seu pico na quinta-feira e trará chuva para todo o país. As temperaturas vão, no entanto, subir ligeiramente, com as temperaturas mínimas a oscilar entre 1 grau (Bragança) e 12 graus (Lisboa, Sines e Sagres) e as máximas entre os 9 (Guarda) e 19 graus (Sagres) na quarta-feira.

Para quarta-feira, o IPMA colocou já os distritos de Viseu, Porto, Guarda, Vila Real, Viana do Castelo, Castelo Branco, Aveiro, Coimbra e Braga também com aviso amarelo devido ao vento forte, com rajadas até aos 80 quilómetros por hora no litoral e até aos 100 km/h nas terras altas e precipitação, por vezes forte. O aviso de vento começa ao início da tarde e prolonga-se até ao fim do dia.

Quanto à precipitação, o aviso começa às 15h nos distritos de Porto, Viana do Castelo, Aveiro, Vila Real e Braga e prolonga-se até ao fim do dia. Em Viseu, Guarda, Castelo Branco e Coimbra, o aviso para a chuva forte tem início às 18h e dura até ao fim do dia.

Agravamento do tempo é consequência da junção de duas massas de ar – uma fria e uma quente

“Quando o frio e o quente se juntam, nunca dá boa coisa”, antecipa o meteorologista Mário Marques, e será pela junção de duas massas de ar – uma fria e uma quente – que o estado do tempo vai agravar. Poderá haver trovoadas fortes e inundações nas áreas impermeabilizadas, tal como foi sentido a 19 de outubro, sobretudo na região norte do país.

Para esta quarta-feira, o meteorologista independente, especialista em clima, gestão de riscos naturais e ordenamento do território espera que as terras próximas de montanhas sejam as mais afetadas, como Viseu, Braga e Vila Real. Outra das preocupações do meteorologista é com as bacias hidrográficas, já “todas saturadas”.

“Obviamente que as bacias hidrográficas não terão capacidade de encaixar. Tudo o que choverá, será para escorrência superficial. Algumas bacias hidrográficas podem correr o risco de galgar as margens, como a do rio Ave, o rio Lima, o Cávado ou o Mondego.”, confirma Mário Marques.

Esta quarta-feira, podemos esperar vento forte, agitação marítima, chuva forte e trovoadas “quase por todo o território, em diferentes partes do dia. Começa na região norte e centro no dia 18 de dezembro, depois vai progredindo para sul no dia 19 até ao dia 20”.

Para a semana do Natal, está prevista a melhoria das condições, prevendo-se uma semana estável e sem chuva.