O chefe executivo interino de Hong Kong, Matthew Cheung, considerou perfeitamente legal a detenção pelas autoridades chinesas, na sexta-feira, de um residente do território que seguia para Macau através da ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau.

“Este é um assunto operacional por parte das autoridades do continente, por isso não devo comentar”, afirmou, segundo a emissora RTHK, Matthew Cheung, chefe executivo interino enquanto decorre a visita da líder de Hong Kong a Pequim. “É perfeitamente justificável que eles exerçam jurisdição dentro do seu próprio território. É totalmente legal“, acrescentou.

As autoridades de segurança da província chinesa de Guangdong confirmaram na segunda-feira a detenção de um residente de Hong Kong que seguia para Macau, e indicaram que é suspeito de liderar uma organização criminosa ligada ao contrabando de telemóveis. A informação foi avançada pela emissora pública de Hong Kong, a RTHK, três dias após ter sido dado como desaparecido pelo filho.

Na rede social Weibo, o Departamento de Segurança Pública da Província de Guangdong indicou que os polícias detiveram durante uma inspeção de segurança de rotina aos autocarros que usam a ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau, na sexta-feira, um homem de 53 anos, suspeito de ser um dos cabecilhas de uma organização de contrabando de telemóveis. Na mesma publicação indicaram que o indivíduo, que era procurado desde 2012, está sob a custódia das autoridades de Zhuhai.

As forças de segurança adiantaram ainda que foram detidos outros suspeitos de crimes durante as mesmas inspeções de segurança que começaram na terça-feira passada, antes da visita do Presidente chinês, Xi Jinping, a Macau, que assinala o 20.º aniversário do território.

Desde esse dia que as autoridades do interior da China contam com, pelo menos, mais um posto de controlo de segurança numa ilha artificial da ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau, de forma a proceder a inspeções a todos os que se deslocam para a cidade chinesa de Zhuhai ou para Macau, provenientes de Hong Kong, onde há mais de meio ano decorrem protestos do campo pró-democracia, que têm desafiado Pequim.

O último contacto que o indivíduo fez foi por telefone, quando disse ao filho que tinha sido detido pelas autoridades do interior da China, precisamente no posto de controlo localizado na ilha artificial, antes de chegar a Macau.

Macau assinala na sexta-feira os 20 anos da transferência da administração do território de Portugal para a China, e organiza a cerimónia de tomada de posse do novo Governo liderado pelo ex-presidente da Assembleia Legislativa, Ho Iat Seng, com destaque para a presença do Presidente Chinês. Esta é a terceira vez que Xi Jinping visita o território. Em 2009, enquanto vice-presidente, deu posse ao agora chefe do Executivo cessante, Fernando Chui Sai On. Em 2014, como Presidente, deu posse ao mesmo chefe do Governo para um segundo mandato.