A casa de Nélson Semedo, jogador do Futbol Club Barcelona e ex-Benfica, foi assaltada na tarde desta quarta-feira. O jogador junta-se ao vasto leque de profissionais de futebol vítimas de assaltos em Portugal e Espanha.

Segundo avança a rádio espanhola Cadena Ser, o roubo aconteceu por volta das 14h. Não se sabe ainda o que levaram os assaltantes ou se estaria alguém dentro da casa durante o assalto. Os criminosos não foram identificados.

O furto ocorre em dia de clássico entre Barcelona e Real Madrid, o mais politizado de sempre face à instabilidade política que se vive na Catalunha — região representada pelo Barcelona. Do outro lado está o Real Madrid.

Os roubos a casas de profissionais do futebol parecem estar a tornar-se numa moda, tanto no estrangeiro como em Portugal. Já a 13 de dezembro, o jogador do Porto, Otávio, viu a sua casa ser assaltada enquanto estava em campo, a jogar contra o Feyenoord. Disputava o último jogo da fase de grupos da Liga dos Campeões.

Na casa, localizada em Vila Nova de Gaia, estavam a mulher e os filhos que chamaram a polícia quando se aperceberam da presença de pelo menos três assaltantes. Ainda assim, as autoridades não chegaram a tempo de impedir o furto, e foram levadas joias e objetos valiosos.

Casa de Otávio assaltada durante jogo com Feyenoord. Ladrões levaram jóias e objetos de valor

A situação não é muito comum em Portugal, mas já em 2012 a casa de Luisão foi assaltada durante a madrugada de 2 de agosto. Na altura, os assaltantes entraram por uma janela do rés-do-chão, enquanto o futebolista do Benfica e a família dormiam no andar de cima. Mais tarde, já com Luisão fora de casa (que tinha uma viagem marcada para cerca das 6h com Benfica), a mulher do jogador encontrou a mala revirada e com 100 a 150 euros em falta. Não foram levados quaisquer bens materiais, apenas dinheiro.

Quaresma também já foi vítima de dois assaltos, um dos quais na sua casa, em Vila Nova de Gaia, em 2014, enquanto ainda representava o Futebol Clube do Porto. O assalto ocorreu algures entre as 17h15 e as 23h, período em que o jogador estava fora por causa da partida dessa noite no Estádio do Dragão frente ao Benfica para a Taça da Liga. Os assaltantes arrombaram uma persiana e partiram uma janela para entrar na propriedade e roubaram cerca de 250 mil euros em relógios, joias, sapatilhas e outros artigos desportivos.

Em Espanha, em outubro, a Guardia Civil desmantelou uma rede de assaltantes que tinham como alvo profissionais de futebol. O grupo atuava em Madrid e assaltou várias figuras do Real e do Atlético de Madrid como Zinedine Zidane, Álvaro Morata, Isco, Casemiro, Benzemá ou Lucas Vázquez. No caso de Zidane e Lucas Vázquez, os dois encontraram as respetivas habitações reviradas quando regressavam de férias, em junho deste ano. Já a casa de Morata foi assaltada à mão armada enquanto a família ali estava. A família de Casemiro estava em casa quando esta foi alvo de um assalto, o jogador estava em campo a defrontar o Atlético de Madrid.

Na altura, o Real Madrid aconselhou os jogadores a não publicarem qualquer tipo de fotografias em casa, para não mostrar artigos de valor que despertassem o interesse de assaltantes.

Foram detidas quatro pessoas e recuperados alguns objetos, como joias, 10 mil euros e a medalha de finalista da Liga dos Campeões que pertencia a Thomas Partey — jogador do Atlético que sofreu duas tentativas de assalto ao seu domicílio em menos de uma semana.

Um pouco mais a sul, em Sevilha, um outro português foi também assaltado em casa. William Carvalho, ex-Sporting que alinha no Bétis, foi também vítima de um assalto em casa, enquanto disputava um jogo contra o Sevilha, em abril.

A profissão torna estes futebolistas alvos bastante apetecíveis para os ladrões, pela exposição social a que estão sujeitos e os elevados ordenados que recebem. Além disso, o calendário profissional dos jogos torna públicas grande parte das deslocações, já que são públicas todas as datas de jogos profissionais e os horários dos treinos. Rotinas de equipa são também facilmente acessíveis.