O Governo do Reino Unido recomendou aos seus cidadãos para terem “muito cuidado” se viajarem para a Guiné-Bissau devido à “instabilidade política” no país, onde a segunda volta das Presidenciais está marcada para o próximo dia 29.

“Embora a situação de segurança atual seja calma, deve ficar atento aos desenvolvimentos locais e evitar áreas sensíveis, como as instalações militares, e quaisquer manifestações”, lê-se no alerta publicado pelo Governo do Reino Unido no seu site. No texto do alerta é recordado o “aumento da agitação civil, as manifestações de rua e grandes reuniões públicas” que antecederam a primeira volta das Presidenciais, em 24 de novembro. As reuniões públicas “devem ser evitadas” e, “em caso de agitação política, devem ser seguidas as indicações das autoridades locais”, prossegue o comunicado.

“Os ataques terroristas na Guiné-Bissau não podem ser excluídos. Os ataques podem ser indiscriminados”, refere o executivo, que recomenda uma especial atenção em locais visitados por estrangeiros.

No dia 29 de dezembro, mais de 760 mil guineenses vão escolher o próximo Presidente da Guiné-Bissau, com dois candidatos nesta corrida: Domingos Simões Pereira e Umaro Sissoco Embaló.

Ainda em relação à Guiné-Bissau, o Governo do Reino Unido recorda que se trata de um país com risco de transmissão do vírus zika.