Se bebeu demasiado, não venha trabalhar para o escritório. É esta a ideia que uma empresa britânica pretende transmitir aos seus empregados, abrindo a hipótese de trabalharem a partir de casa quando estão de ressaca.

“Basicamente, isto é um dia para trabalhar em casa, mas transformamos o conceito em algo mais apelativo para a geração mais jovem”, explicou Claire Crompton, co-fundadora e diretora da The Audit Lab à BBC, uma empresa de marketing digital. O objetivo é claro: angariar mais trabalhadores millenials, habituados a sair à noite durante a semana, e, ao mesmo tempo, promover a honestidade.

Empresa deixa trabalhar em casa em dia de ressaca

“A minha equipa marca com antecedência um dia para a ressaca, se sabem que vão sair. E trabalham a partir de casa, de pijama”, clarificou. Até à data não houve abusos. “Toda a gente tem sido muito responsável, até ao momento”, garantiu Claire Crompton.

Ellie, uma jovem de 19 anos que trabalha na The Audit Lab, aplaudiu a decisão, lembrando que quem tem filhos tem muitas regalias enquanto que as pessoas sem filhos quase não têm. “Este ano já tirei dois dias para a ressaca”, contou à BBC.

A iniciativa já foi criticada por associações ligadas à área da saúde, como a Alcohol Change UK, por considerarem que o Dia de Ressaca incentiva os jovens a beber em demasia. “Não há nada de errado em tomar uma bebida, mas saber com antecedência que se vai beber até o ponto de não se poder ir ao escritório no dia seguinte é diferente”, sustentou Andrew Misell, diretor da Alcohol Change UK no País de Gales. Já Elaine Hindal, diretora executiva da Drinkaware, associação que ajuda as pessoas a reduzirem o consumo de álcool, acredita que “não deve haver lugar para incentivar comportamentos de risco com a bebida no local de trabalho”.