A Câmara do Porto vai cortar esta quarta-feira à noite a circulação automóvel na Avenida Dom Carlos I, na Foz, devido ao agravamento das condições meteorológicas, devendo aquela via permanecer encerrada pelo menos até sexta-feira.

Numa nota publicada na sua página da internet, o município informa que o agravamento das condições meteorológicas, previsto para as próximas horas, “levou à emissão de avisos laranja para precipitação e agitação marítima”, pelo que a Proteção Civil Municipal vai cortar a Avenida Dom Carlos I a partir das 20h.

Por precaução, torna-se necessário interromper a circulação automóvel na Avenida de Dom Carlos I, na zona da barra do Douro, a partir das 20h desta quarta-feira. O trânsito será restabelecido logo que as condições do mar o permitam, sendo feita uma reavaliação da situação no início da manhã de sexta-feira”, acrescenta o município.

A autarquia admite que, embora ainda não exista ainda qualquer aviso por parte do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), esta situação poderá voltar a ocorrer no sábado e no domingo. Segundo a câmara, o aviso amarelo existente para vento foi alvo de atualização por parte do IPMA, estando agora previstas rajadas até 90 quilómetros por hora (km/h) até às 21h de quinta-feira.

Mau tempo agrava-se a partir das 15h desta quarta-feira

Há ainda previsão de precipitação forte e persistente que, segundo a Proteção Civil Municipal, pode ser acompanhada de trovoada. Para quinta-feira e até às 6h de sexta-feira, as previsões apontam também para um aumento significativo da agitação marítima, com ondas de oeste/sudoeste com cinco a sete metros de altura, que podem atingir os 10/13 metros de altura máxima.

Relativamente à agitação marítima, a Proteção Civil Municipal apela ao respeito pelos perímetros de segurança que serão estabelecidos para peões e veículos junto da orla costeira e acessos aos molhes. Face às previsões, a Proteção Civil recomenda à população especial atenção na circulação, permanência e estacionamento junto a áreas arborizadas, devido à possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude dos ventos fortes.

Aconselha também uma atitude preventiva e de precaução relativamente a equipamentos como esplanadas, estruturas de apoio a festividades, andaimes, placards entre outros, reforçando a sua fixação ou optando pela sua retirada. É ainda recomendada a desobstrução dos escoamentos, a redução da velocidade dos veículos e o acréscimo de prudência devido ao piso escorregadio e à possibilidade de formação de lençóis de água e de cheias rápidas.