A Glovo, plataforma espanhola de compra, recolha e entrega de refeições e outros produtos, fechou uma ronda de financiamento de 150 milhões de euros, tornando-se, assim, no segundo unicórnio (empresa avaliada em mais de mil milhões de euros) em Espanha. A ronda foi liderada pela capital de risco Mubadala, com o apoio de antigos investidores, como a Drake Enterprises, a Idinvest e a Lakestar.

A empresa vai utilizar este investimento para expandir a equipa de tecnologia, contratando mais 300 engenheiros até meados do próximo ano e 50 especialistas em produtos e tecnologia para o novo escritório em Varsóvia, para continuar o desenvolvimento tecnológico, “através de uma maior simplificação da experiência dos utilizadores e da redução do tempo de espera para estafetas e clientes”, e apostar na abertura de dark stores e cook rooms.

Através da aplicação da Glovo é possível encomendar refeições de qualquer restaurante, sendo parceiro ou não da empresa, desde que disponibilize serviço de take away e se encontre localizado dentro da área geográfica coberta. A startup de Barcelona está presente em 26 países, da Europa à América Latina e África.

Ter alcançado o status de unicórnio é algo verdadeiramente emocionante e uma prova do talento da empresa e da nossa determinação em continuar a inovar e criar ofertas disruptivas nas entregas on-demand. Apesar do nosso crescimento ter sido rápido e de termos alcançado este novo status, ainda temos a mesma visão que sempre tivemos: disponibilizar, instantaneamente, tudo na cidade para os nossos clientes”, referiu Oscar Pierre, cofundador e presidente da Glovo, citado em comunicado.

Com esta ronda de financiamento, a Glovo diz que vai também continuar a “desenvolver novas soluções e serviços em várias categorias, desde bebidas alcoólicas a produtos farmacêuticos e outros necessários ao dia a dia”, através de parcerias semelhantes às que estabeleceu com a Sonae em Portugal ou com o Carrefour em Espanha, França, Itália e Argentina.

Fundada em janeiro de 2015 por Sacha Michaud e de Oscar Pierre, a Glovo está presente em mais de 250 cidades de 21 países, emprega mais de mil pessoas no mundo e conta com uma rede de 35 mil estafetas, tendo mais de sete milhões de utilizadores. A plataforma espanhola foi lançada em Lisboa em outubro de 2017 e no Porto em março do ano passado.

Em entrevista ao Observador, em julho deste ano, o cofundador Sacha Michaud referiu que o negócio já é positivo no sul da Europa, ou seja, que os serviços que prestam já fazem mais dinheiro do que o que custam, mas não avançou com valores.

Os 300 milhões da Glovo, a aposta em Portugal e o crescimento de 500%: “Ainda agora começámos”