A empresa pública Electricidade de Moçambique (EDM) perde anualmente cerca de 100 milhões de dólares (90 milhões de euros) em prejuízos devido a ligações clandestinas, disse esta quinta-feira à Lusa fonte da instituição.

“Tais perdas são derivadas do roubo de energia, ligações clandestinas. Essa energia toda não é faturada. As pessoas viciam os quadros, negoceiam com os nossos colegas, por vezes”, disse o diretor social de Energia da EDM, Joaquim Ou-chim.

Além dos 100 milhões de dólares, a empresa pública contabiliza anualmente prejuízos de 2 milhões de dólares (1,7 milhões de euros) devido à vandalização e roubo de equipamentos no país.

“Quanto mais expandimos os nossos serviços, mais difícil é fazer o controlo. Então o roubo de material também aumenta”, acrescentou Joaquim Ou-chim.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Para responder a estes desafios, a EDM tem adotado campanhas de sensibilização nas comunidades, além de cooperar com a Polícia moçambicana para reduzir os prejuízos.

“Temos apostado muito na sensibilização, porque muitas vezes a comunidade sabe quem rouba, mas não quer dizer”, afirmou.

Dados oficiais indicam que 32% de pessoas tenham acesso à rede elétrica da EDM, num país com cerca de 28 milhões de habitantes, segundo o último censo populacional (2017).