O Fundo Monetário Internacional (FMI) aprovou esta quinta-feira um pacote de ajuda financeira à Guiné Equatorial no valor de 282,8 milhões de dólares, até 2022, com uma forte componente de melhoria da governação e combate à corrupção.

“O programa apoiado pelo FMI tem como objetivo a manutenção da estabilidade macroeconómica e financeira, melhorar a proteção social, impulsionar a diversificação económica e fortalecer a governação e o combate à corrupção”, lê-se na nota que confirma o programa de 282,8 milhões de dólares, cerca de 250 milhões de euros.

A aprovação pelo conselho de administração do FMI do Programa de Financiamento Ampliado (Extended Fund Facility, no original em inglês) permite a entrega imediata de 40,4 milhões de dólares (36,3 milhões de euros), lê-se no comunicado.

Segundo o FMI, “o programa das autoridades baseia-se nos esforços do país, nos últimos anos, para reduzir os desequilíbrios macroeconómicos e lidar com os desafios em matéria de governação e corrupção que a Guiné Equatorial enfrenta”.