A Arábia Saudita e o Kuwait assinaram esta terça-feira um acordo para retomar, depois de cinco anos de interrupção, a produção de dois campos petrolíferos numa zona partilhada pelos dois países, anunciou o ministro do Petróleo do Kuwait.

O acordo prevê “a retomada da produção na zona partilhada”, também denominada zona neutra, escreveu na rede social Twitter o ministro do Kuwait, Khaled al-Fadel, que não precisou a data do reinício da produção.

A agência de notícias oficial do Kuwait, Kuna, divulgou também que os dois países tinham assinado um acordo adicional a acordos ulteriores de definição das fronteiras terrestre e marítima na zona neutra.

A agência também não precisou pormenores sobre o conteúdo do novo acordo.

Os dois campos de petróleo produziam cerca de 500.000 barris por dia antes da interrupção.

A produção foi interrompida no campo de Khafji em outubro de 2014 e alguns meses depois no de Wafra devido a um diferendo entre os dois vizinhos.

O petróleo produzido nesta zona fronteiriça é partilhado em partes iguais pelos dois países.

O campo de Khafji, no mar, era explorado conjuntamente pela Kuwait Gulf Oil Co (KGOC) e pela Saudi Aramco Gulf Operations, enquanto o de Wafra, em terra, era pela KGOC e pela Saudi Arabian Chevron.

Os dois países estiveram em negociações desde junho de 2015 para resolver o conflito e retomar a produção.

O acordo de hoje surge numa altura em que os preços de petróleo estão sob pressão devido à abundância de reservas e ao fraco crescimento da economia mundial.

Esta situação incitou a OPEP (Organização de Países Exportadores de Petróleo) e aliados a prolongarem as reduções da produção a partir do próximo mês.

A Arábia Saudita, país líder da OPEP, produz pouco menos de 10 milhões de barris por dia e o Kuwait cerca de 2,7 milhões de barris por dia.