Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Todos os anos milhares de prendas de Natal passam quase diretamente do sapato ou da chaminé para os sites de venda online. E todos os anos o número tem aumentado. O jornal francês Le Figaro mostra as contas aos anúncios colocados na plataforma Rakuten ao meio do dia 25 de dezembro, e concluiu que já tinham sido anunciadas 500 mil ofertas, mais 200 mil do que no ano passado.

Os números foram avançados pela diretora de marketing, Alison Boutoille, que antecipa que o número de anúncios de vendas chegue ao milhão até ao final do dia de Natal.  A Rakuten propõe mesmo aos utilizadores que coloquem online anúncios para revender os presentes de Natal em quatro clicks. Entre os artigos mais procurados, e também mais descartados pelos que os receberam, estão jogos Lego e playmobile, jogos vídeo e de sociedade.

Para justificar este comportamento menos afetivo dos consumidores, o jornal francês remete para um estudo da OpinionWay, segundo o qual um em cada dois franceses se mostra disposto a revender as prendas de Natal. Para justificar esta atitude desligada, avançam várias razões: desde o argumento de que já tinham o que foi oferecido ou que nunca o irão utilizar. E este é um movimento cada vez mais assumido, confirma também a responsável pelas vendas da plataforma eBay. Para Sarah Tayeb, o maior pragmatismo em relação às prendas recebidas também representa o reforço de uma tendência para a economia circular e para a reciclagem.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR