O Governo chileno declarou na terça-feira o estado de alerta na sequência de um incêndio que já destruiu pelo menos 200 casas nos arredores da cidade portuária de Valparaíso, conta o The New York Times. Neste momento o fogo está mais controlado mas, mesmo assim, o ministro do interior Gonzalo Blumel, dá conta de que a frente parece estar a deslocar-se das zonas de habitação para uma área de florestal.

O autarca de Valparaíso, José Sharp, contou à comunicação social local que havia indícios de que o fogo tinha tido mão criminosa, isto porque as ignições detetaram-se em vários sítios ao mesmo tempo. A evolução do incêndio deu-se de forma acelerada por culpa dos ventos fortes e do tempo quente e seco, características que estão em linha com o período de seca que tem afetado este país sul-americano — uma das piores alguma vez registadas.

Inicialmente o ministro da Agricultura, Antonio Walker, tinha afirmado na manhã desta quarta-feira que existiam pelo menos 120 casas afetadas pelo incêndio. Entretanto os números foram atualizados pelas autoridades chilenas. A Comissão Nacional de Florestas do Ministério da Agricultura informou através de uma publicação na rede social Twitter que pelo menos 100 hectares foram consumidos pelas chamas e que os habitantes foram retirados da área afetada.

Bombeiros de Valparaíso e de Vina del Mar estavam a ser apoiados por helicópteros e aviões no combate ao fogo.

Valparaíso é uma cidade portuária no centro do Chile cheia de pequenas casas coloridas. Algumas das áreas afetadas pelo incêndio dizem respeito às zonas pobres da região, onde a topografia acidentada e estradas sinuosas dificultaram o acesso dos bombeiros. Esta não é a primeira vez que um incêndio afeta esta zona do Chile — em 2104, por exemplo, 12 pessoas morreram na sequência de um desastre semelhante.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR