Atrair e reter talento é um dos temas do momento nas empresas, mas é também um dos principais desafios que estas enfrentam. Na teoria, sabe-se quais as estratégias e políticas que podem ser adotadas para chamar a atenção de futuros colaboradores com potencial e desempenho de qualidade. Na prática, é necessário que esse apelo inicial se mantenha vivo, para que os colaboradores de excelência queiram permanecer na empresa.

Os especialistas em gestão de recursos humanos ensinam-nos que colaboradores talentosos são aqueles que demonstram uma performance de qualidade superior e que entendem bem a estratégia e os valores da empresa em que trabalham. Ao mesmo tempo, ganham um papel de referência junto dos colegas, o que abre caminho para um bom ambiente de trabalho e maior êxito junto dos clientes.

No fundo, o talento é a capacidade de desenvolver novas competências. Funciona como uma estratégia de adaptação aos desafios do mercado de trabalho. As empresas procuram precisamente esse tipo de colaboradores e precisam de criar condições satisfatórias para que eles se sintam em casa e acrescentem valor à organização.

De forma resumida: a correlação entre sucesso da empresa e retenção de talento tem sido estudada por vários autores e é considerada positiva – uma cresce em função da outra. Quem se sente recompensado no local de trabalho, desenvolve mecanismos psicológicos que remetem para o conforto e a segurança, e sente que as relações com os colegas e com as chefias estão ao nível das amizades fora do contexto de trabalho. A longo-prazo, são esses fatores intangíveis que levam os colaboradores a criar vínculos duradouros com a empresa.

Um caso de sucesso nesta área é a Cofidis, sociedade financeira que atua em Portugal desde 1996. É reconhecida pelo conceito inovador de crédito ao consumo à distância e tem vindo a ser distinguida como uma das melhores empresas para trabalhar em Portugal – através do prémio Best WorkplacesTM, que lhe foi atribuído em 2019 pela quarta vez.

Também designado Melhores Lugares para Trabalhar, o prémio ganha expressão através de uma lista anual em que o fator humano e a melhoria dos ambientes de trabalho são classificados pelos próprios colaboradores das empresas.

Na Cofidis há exemplos concretos de três programas com efeitos reais na retenção de talento, ou seja, na criação de condições que levam os colaboradores mais empenhados a sentirem que a valorização pessoal os motiva a permanecer na empresa. A saber: um programa que promove o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, um programa de reconhecimento de boas práticas e comportamentos exemplares e ainda um programa de experiências profissionais para os filhos dos colaboradores.

Na avaliação Best WorkplacesTM 2019, os colaboradores da Cofidis valorizaram acima de 90% afirmações como “quando integro esta empresa sinto que sou bem-vindo”, “orgulho-me do contributo da empresa para a comunidade”, “comemoramos datas e acontecimentos especiais” ou “toda a gente é tratada de forma justa”.

Como premiar os melhores sítios para trabalhar

São características que fazem parte de um conceito mais global de gestão de talento, que consiste na criação por parte das organizações de estratégias e ações práticas que em última análise melhoram a produtividade porque permitem reter o talento. Eis a ideia-chave: tão importante quanto a remuneração ou as oportunidades de progredir na carreira é o sentimento de bem-estar e de pertença.