O Parque Nacional da Gorongosa, um dos projetos de maior impacto social e ambiental no Centro de Moçambique, vai abrir em 2020 um acampamento para turistas, no coração da reserva, com tendas totalmente equipadas, anunciou a instituição.

Cercado por árvores de grande porte, o acampamento Muzimu vai ter seis tendas elevadas com ‘decks’ privativos a partir dos quais se pode observar o rio Mussicadzi, acima do qual vão estar localizadas.

“Passadiços elevados vão ligar as tendas para que os hóspedes possam passear pelo mato” e, nalguns lugares, “os caminhos descem ao nível do solo, permitindo que elefantes, hipopótamos e antílopes se movam das margens do rio para as planícies para além do acampamento”, descreve o parque.

Apesar de estarem no meio de um parque natural africano, estarão incluídas comodidades como piscina, serviço de lavandaria e wi-fi.

Além de pensão completa, o parque organiza safaris a pé e de jipe e transferências de aeroportos.

Os planos futuros incluem um circuito de safaris incluindo o Lodge do Café na Serra da Gorongosa e um acampamento nas margens do rio Zambeze, que separa o centro do norte de Moçambique”, conclui o parque.

O acampamento Muzimu abrirá na segunda metade de 2020.

O Parque Nacional da Gorongosa apresenta-se como “o principal parque nacional de vida selvagem de Moçambique”, localizado na extremidade sul do Vale do Rift do leste Africano.

É lar de “alguns dos ecossistemas biologicamente mais ricos e geologicamente mais diversos do continente” e é cogerido pelo Governo de Moçambique e pelo Projeto da Gorongosa.

“O Parque integra a conservação e o desenvolvimento humano com a compreensão de que um ecossistema saudável e comunidades humanas saudáveis são dois lados da mesma moeda”, conclui.