O homem suspeito de ter matado a ex-mulher no sábado em Cascais vai aguardar julgamento em prisão preventiva, anunciou esta segunda-feira o Comando Metropolitano de Lisboa da PSP.

O arguido, de 43 anos, estrangeiro, é suspeito da prática do crime de homicídio em contexto de violência doméstica.

A mulher, também estrangeira, foi morta no sábado à noite, tendo o arguido se colocado em fuga, disse à Lusa na ocasião fonte do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP.

De acordo com a mesma fonte, o homem desferiu “pelo menos duas facadas na zona do tórax” da vítima que, apesar de assistida pelo Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), acabou por morrer no local.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

No comunicado divulgado esta segunda-feira, o Comando Metropolitano de Lisboa da PSP adianta que o crime ocorreu pelas 22:35 de sábado.

“Após deslocação ao local foi possível apurar que o suspeito terá atacado a sua ex-companheira com uma arma branca, desferindo-lhe vários golpes na zona abdominal e torácica, resultando na morte da vítima, de 38 anos, que foi encontrada na zona de acesso ao prédio onde habitava”, refere.

Segundo a PSP, “o suspeito terá ainda agredido o seu filho, de 20 anos, que tentou impedir as agressões de que a mãe se encontrava a ser vítima, o que lhe veio a causar lesões na zona da cabeça”.

O arguido acabou por ser intercetado na madrugada de domingo, “ainda com marcas de sangue nas roupas que trajava”.

Presente a primeiro interrogatório judicial, no Tribunal da Comarca de Lisboa Oeste — Cascais, foi determinada a medida de coação mais gravosa, a prisão preventiva, tendo o homem sido encaminhado para o Estabelecimento Prisional de Caxias, acrescenta o comunicado.