O recenseamento para o Serviço Militar Obrigatório (SMO) de 2020 em Moçambique arrancou esta quinta-feira em todo o território, um processo que as autoridades esperam que abranja 20 mil cidadãos, disse fonte oficial.

A operação, que vai decorrer até 28 de fevereiro, visa todos os cidadãos moçambicanos de ambos os sexos dentro e fora do país, que tenham completado a idade mínima de 18 anos e também os que falharam o recenseamento militar em ocasiões anteriores, mas que ainda não fizeram 35 anos, disse à Lusa fonte do Ministério da Defesa de Moçambique.

O exercício vai decorrer em instituições da administração pública, autarquias, escolas, entidades diplomáticas moçambicanas e administrações distritais. Os jovens moçambicanos residentes no estrangeiro farão o recenseamento militar nas missões diplomáticas e consulares. A realização do recrutamento terá em conta a equidade de género, acrescentou a mesma fonte.

O recenseamento militar em Moçambique é feito no início de cada ano e não implica automaticamente a incorporação no SMO, pois este ato está sujeito a testes de aptidão e ao número definido anualmente para o ingresso nas Forças Armadas de Defesa de Moçambique (FADM).

No ano de 2019, a meta era de 192 mil pessoas.