É uma estatística avassaladora, que demonstra bem o porquê de Leo Messi ser o futebolista com mais distinções de melhor do mundo concedidas pela FIFA (seis, mais uma do que Cristiano Ronaldo). Entre 2010 e 2019, o avançado argentino formado no Barcelona disputou 521 jogos e marcou 522 jogos. Os dados foram recolhidos pelo site de compilação estatística de futebol Transfermarkt e são citados pela agência de notícias espanhola Efe.

Nas primeiras ligas europeias, não houve ninguém nem a marcar tantos golos como Messi, nem a ter mais tentos marcados do que jogos disputados. O argentino poderia estar em primeiro lugar apenas em um destes critério, mas é o melhor em ambos.

Em segundo lugar com mais golos marcados nos últimos dez anos — de 2010 a 2019 — surge, claro, o português Cristiano Ronaldo, que dividiu a hegemonia do futebol mundial e dos prémios individuais com o argentino. O avançado que é também conhecido pela abreviatura CR7 teve dez anos também eles extraordinários: somou 477 golos (menos 45 do que Messi) em 489 partidas (menos 32 do que o argentino).

Se Ronaldo tivesse a impressionante média de golos por jogo de Messi — arredondadamente um tento por partida —, teria mais 12 a 13 golos do que aqueles que anotou em dez anos. O que isto significa é que quase bastaria a Cristiano Ronaldo ter marcado mais um golo marcado por cada temporada desportiva para chegar aos números do avançado argentino, o que mostra que a diferença entre os dois não é tão grande como poderia parecer. E não entram aqui outros fatores, como a mudança recente de ares de Cristiano Ronaldo que, ao contrário de Messi, não envergou apenas a camisola de um clube ao longo destes dez anos mas sim de dois: Real Madrid e Juventus.

A fechar o pódio está um avançado que, esse sim, surge claramente atrás do duo que tem dominado o futebol mundial, mas que também passou dez anos a marcar golos com  regularidade: o polaco Robert Lewandowski soma 324 tentos anotados em 454 jogos.

Seguem-se Edison Cavani (309 golos em 447 jogos), Luis Suárez (303 em 445), Sergio Aguero (280 em 430), Zlatan Ibrahimovic (251 em 342), Pierre Aubameyang (241 em 457), Gonzalo Higuaín (240 e 457) e Karim Benzema (232 em 470).