A Aston Martin propõe uma gama de modelos cada vez mais exuberante e atraente, de coupés de luxo (abertos e fechados) como o DB11, DBS e Vantage, ao novo SUV DBX e à berlina de quatro portas Rapide. Em 2020 complementará esta gama, tão impressionante quanto dispendiosa, com os hiperdesportivos Valkyrie e Valhalla, cujas entregas aos clientes deverão ser iniciadas em breve. Mas nem este invejável cardápio de carros de sonho levou a Aston Martin a fazer uma pausa no seu processo criativo.

No dia 3 de Janeiro, o fabricante britânico revelou o seu primeiro produto que é capaz de voar. Se mesmo os seus automóveis mais possantes podem, em condições ideais ultrapassar os 300 km/h, a última obra da Aston Martin é ligeiramente mais lenta, limitada a 234 km/h em velocidade de cruzeiro. Tem, contudo, a vantagem de atingir este valor em linha recta, independentemente do trânsito, quer chuva ou faça sol. Referimo-nos ao helicóptero ACH130 Aston Martin Edition.

O helicóptero em causa, produzido pela Airbus, nasce de uma colaboração entre este fabricante europeu de aparelhos voadores e o construtor de automóveis inglês, que empresta ao projecto todo o seu conhecimento no que respeita ao luxo a bordo, decorando e revestindo o cockpit do ACH130 como se tratasse de um Aston Martin DBX. Como tal, o aparelho posiciona-se entre os mais apetecíveis do mercado para os clientes que visam um helicóptero privado particularmente sofisticado e refinado, para quem o custo (sempre mais de 3,5 milhões de euros) não é um problema.

Curiosamente, o ACH130 da Airbus, com um motor de 952 cv, é menos possante do que o melhor Aston Martin, uma vez que o Valkyrie debita 1176 cv. A Airbus já fabricou seis ACH130, que estão actualmente a operar, podendo cada um deles transportar até seis passageiros, para além do piloto.