A Corrida da Liberdade vai integrar em 2021 o circuito mundial de provas de atletismo de meias maratonas, anunciou esta sexta-feira o vereador do Desporto da Câmara Municipal da Praia, em Cabo Verde, José Eduardo dos Santos.

A 12.ª edição da corrida vai ser disputada no próximo dia 13 e vai ser apadrinhada pelo ex-futebolista Luisão, contando pela terceira vez com a distância de 21,0975 quilómetros e com o sistema de cronometragem com ‘chip’ [dispositivo que atesta as passagens de cada atleta], permitindo consolidar o percurso, segundo o autarca.

“A partir do próximo ano, já podemos dizer que a meia maratona da Corrida da Liberdade da cidade da Praia é uma prova mundialmente oficial”, afirmou José Eduardo dos Santos, ambicionando atrair um maior número de participantes. Segundo o autarca, o percurso, a fiabilidade na cronometragem, assim como a segurança e o rigor nos horários, são imprescindíveis para cativar atletas estrangeiros.

“Essa parte toda já está assegurada e acreditamos que vamos ter essa certificação internacional”, afiançou o autarca, acrescentando que, nesse sentido, vai ser feita, em breve, a aferição da distância.

A prova criada em 2009 assinala o 13 de janeiro, feriado nacional, data da realização das primeiras eleições multipartidárias no país, após 16 anos em regime de partido único. “O que poderá acontecer no próximo ano é termos cá um grande boom de pessoas que vem de toda a parte do mundo. Há nas estatísticas desta organização mundial um mínimo de duas mil pessoas que andam o ano todo o fazer maratonas, inscrevem-se por conta própria e fazem isso como turismo, e nós queremos atrair esse turismo”, reforçou.

Os antigos futebolistas Eusébio, Mantorras e Neno, o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, o ex-judoca Nuno Delgado foram alguns dos padrinhos da prova, tal como as atletas Fernanda Ribeiro e Rosa Mota.

No próximo dia 13, a organização conta com 200 atletas na meia maratona, 400 na distância de 10 quilómetros e 120 na prova para os alunos das escolas da Praia, com partida na Praça Alexandre Albuquerque, no Plateau, e chegada junto ao Estádio da Várzea.

A organização espera um total de 10 mil participantes nas iniciativas associadas à Corrida da Liberdade, que incluem ainda provas para atletas com deficiência, a correr e em cadeira de rodas, e duas caminhadas.