Pretende que os festejos decorram “sob o olhar atento” da estátua de Winston Churchill, com o grande evento a culminar pelas 23h00 do dia 31 de janeiro, em plena praça do Parlamento britânico, quando o histórico Big Ben assinalar o aguardado desfecho. Ansioso pelo início do processo de divórcio da União Europeia, Nigel Farage, do Partido do Brexit, já começou a planear aquela que será a celebração do esperado dia B.

De acordo com o The Telegraph, Farage e Richard Tice, presidente do partido, já formalizaram o pedido para organizar esta festa em Westminster junto da Greater London Assembly, a assembleia que escrutina a atividade do presidente da Câmara de Londres e que gere as licenças para este tipo de eventos. E a avaliar pela mesma fonte, o encontro que assinalará o fim de uma relação de 45 anos, envolverá um orçamento de 100 mil libras (cerca de 117 mil euros). O programa inclui “fogo de artifício, bandas e comediantes”, num formato similar ao do Ano Novo, mas um pouco menos vistoso.

Plano de Boris aprovado com maioria. “É o momento de abandonar os rótulos de Leave ou Remain”

Segundo o The Sun, Farage e Tice esperam que entre 5 mil e 10 mil apoiantes da saída da UE se juntem à Festa do Brexit, que terá na sua lista de oradores figuras como o próprio Farage e, eventualmente, o primeiro-ministro recém eleito Boris Johnson, que também receberá o respetivo convite — o mesmo, segundo os mentores da ideia –será extensível a todos os partidos. “Vamos convidar diferentes figuras. Os discursos serão curtos e pouco políticos. Será um momento de celebração”, descreve Farage. A Greater London Assembly deverá pronunciar-se esta semana sobre o eventual aval à organização.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

E se o preço a pagar pelo Brexit é ainda uma incógnita, o do bilhete de acesso à praça é uma certeza: os foliões deverão pagar um valor simbólico, sendo que os mentores dos festejos garantem que não falta “entusiasmo” entre inúmeros benfeitores dispostos a ajudar a financiar o evento.