Uma antiga jornalista da Fox News acusou o presidente norte-americano Donald Trump de assédio sexual num livro que será publicado na próxima  semana. Courtney Friel, hoje apresentadora do programa “Fox & Friends”, conta que o multimilionário lhe telefonou e terá dito: “Devias vir até ao meu escritório para nos podermos beijar”. No livro, a jornalista diz ter respondido: “Donald, julgo que somos ambos casados”, antes de desligar.

A história foi noticiada pelo New York Daily News num artigo sobre o livro “Tonight At 10: Kicking Booze and Breaking News”, assinado por Courtney Friel. Segundo as memórias da jornalista, o presidente norte-americano ter-se-á referido a ela como “a jornalista mais sensual da Fox”. O telefonema terá acontecido depois de Courtney Friel ter demonstrado interesse em ser jurada no concurso Miss USA de Trump.

O episódio terá ocorrido antes de Donald Trump ter sido eleito para a Casa Branca. No livro, Courtney Friel afirma que a sugestão do multimilionário teve implicações no trabalho enquanto jornalista: “A proposta dificultou a minha capacidade de reportagem sobre a campanha de Trump para a presidência. Enfureceu-me que ele telefonasse a todas as mulheres que partilhavam histórias dos seus ​​avanços ousados e lhes chamasse mentirosas. Acredito totalmente nelas”, escreveu.

De acordo com as contas do The Guardian, já são quase 20 as mulheres que acusam Donald Trump de assédio sexual. Antes de Courtney Friel, também Summer Zervos, que entrou no reality show “The Apprentice” — em que os participantes batalham para entrar numa das empresas de Trump —, apresentou provas judiciais que suportam as acusações de que foi atacada pelo líder dos Estados Unidos num quarto de hotel em 2007. Donald Trump diz que estão a mentir.