Ainda que o ski seja uma actividade pouco praticada em Portugal, manifestamente por falta de boas condições, não faltam os portugueses que atravessam Espanha rumo às pistas de Serra Nevada, Pirenéus ou Alpes. Para todos esses, há cinco dicas fundamentais para incrementar a segurança das famílias que adoram (ou querem experimentar) este desporto de Inverno, que nos chegam através da Seat e pela boca de Jordi Gené, um piloto profissional tão à vontade com o volante na mão como com os skis nos pés. E este habitante de Sabadell já conduziu de tudo, de karts aos F3000, passando pelos carros das 24 Horas de Le Mans aos “Turismos” do WTCC e TCR, onde o construtor espanhol participa activamente.

Para prestar um serviço a quem percorre grandes distâncias em direcção às pistas de neve, Gené reuniu cinco dicas que tentam evitar os erros mais frequentes da generalidade dos condutores/esquiadores:

Coloque os skis num suporte sobre o tejadilho

É o melhor local para transportar skis e pranchas de snowboard. Idealmente com as pontas viradas para trás, para incrementar a segurança. Esta solução não só não belisca o espaço no habitáculo, como torna tudo mais seguro em caso de acidente. Segundo Gené, convém fixar correctamente os suportes ao tejadilho, consciente que não vai transportar material muito pesado mas, à medida que a velocidade sobe, também aumenta o peso dos objectos em caso de embate.

Um par de skis de 5 kg pesa 150 kg só a 50 km/h!

Gené chama a atenção para o facto de que tudo o que transportamos dentro de um automóvel pode transformar-se num perigo em caso de acidente. Como a energia depende do quadrado da velocidade, um pequeno incremento na velocidade a que o veículo se desloca faz disparar o “peso” de tudo o que vai lá dentro, do corpo do condutor à sua cabeça, passando neste caso pelos skis. A 50 km/h, um par de skis de apenas 5 kg passa pesar 150 kg. Imagine-se agora a 100 km/h ou a 120 km/h, só para mencionar valores dentro dos limites de velocidade estabelecidos pelo legislador.

As botas são outro perigo em caso de embate

Tudo o que afirmámos em caso de acidente, em relação aos skis, é igualmente válido no que respeita às botas de ski, mais pesadas na maioria das vezes. É importante estarem bem acomodadas, atrás dos assentos e com o tapa bagagens fechado, para evitar que algo lhe passe por cima e possa atingir directamente os ocupantes.

Nada por cima do tapa bagagens!

Um dos maiores perigos é colocar objectos (e nem necessitam de ser muito pesados) por cima do tapa bagagens. Em caso de acidente frontal, estes objectos aumentam de peso de forma exponencial e atravessam o habitáculo a velocidades incríveis, com danos para a cabeça e pescoço de quem vai a bordo. Igualmente perigoso são os ocupantes que optam por não utilizar cinto de segurança quando sentados atrás, colocando a sua segurança em risco, bem como a dos passageiros que viajam nos bancos da frente.

Distribua bem o peso e atenção às manobras

É importante perceber que os automóveis têm dois eixos e é fundamental distribuir a carga de uma forma tão equilibrada quanto possível entre ambos, se queremos ter um veículo que não perca muita eficácia em termos de comportamento, apesar do peso adicional transportado. Com o transporte de material sobre o tejadilho, é possível conseguir um maior equilíbrio, especialmente para os condutores que pensam realizar a viagem a uma velocidade mais elevada. Veja o vídeo preparado pela Seat e por Jordi Gené para mais pormenores: